A Vida Invisível de Eurídice Gusmão, premiado em Cannes, é escolhido para abrir Cine Ceará - Foto: Reprodução/RT Features

A Vida Invisível de Eurídice Gusmão, premiado em Cannes, é escolhido para abrir Cine Ceará

A Vida Invisível de Eurídice Gusmão, longa de Karim Aïnouz premiado como melhor filme na mostra Un Certain Regard no Festival de Cannes, foi escolhido para abrir o 29º Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema, em Fortaleza. O festival acontece de 30 de agosto a 6 de setembro.  O longa de Aïnouz será exibido dia 30 de agosto, no Cineteatro São Luiz.

Após vencer o prêmio de melhor filme na mostra Un Certain Regard de Cannes – primeiro filme brasileiro a receber o prêmio máximo na categoria, o projeto foi contemplado com o também inédito CineCoPro Award no Filmfest München, na Alemanha. O longa conta a história das irmãs inseparáveis Guida, que sonha em casar e ter uma família, e Eurídice, a mais nova, pianista prodígio. Um dia, as duas são separadas para sempre e passam suas vidas tentando se reencontrar, como se somente juntas fossem capazes de seguir em frente.

“É uma felicidade imensa realizar a primeira exibição nacional de A Vida Invisível de Eurídice Gusmão na minha cidade natal, e no Nordeste, uma região catalisadora do cinema e da cultura brasileira, e estou ansioso para ver e ouvir as reações do público cearense. A trajetória internacional deste longa tem me emocionado muito também, com ótima receptividade dos espectadores em diversos países, que estão abraçando o filme de uma forma muito especial. A participação em alguns dos mais importantes festivais do mundo e a conquista do prêmio inédito em Cannes comprovam a sua força e universalidade”, disse o diretor Karim Aïnouz em comunicado enviado à imprensa.

 

Filme fala sobre patriarcado tóxico

“Estou ansioso para acompanhar a recepção do público brasileiro, e começar essa história em Fortaleza na abertura do 29º Cine Ceará é muito especial. A Vida Invisível tem um elenco incrível que revela novas atrizes, como a Julia Stockler e a Carol Duarte, e também poder contar com a atuação e a presença de Fernanda Montenegro, Gregório Duvivier, Maria Manoella, Bárbara Santos, Flavia Gusmão, Flavio Bauraqui, entre outros. O filme aborda um assunto urgente, sobre como o patriarcado pode ser tóxico na sociedade, e tenho certeza de que será uma sessão muito acolhedora e importante para o projeto”, afirma o produtor Rodrigo Teixeira, da RT Features, responsável pelo projeto.

Livre adaptação do romance homônimo de Martha Batalha, o longa já recebeu elogios de algumas das mais prestigiosas publicações do segmento de cinema no mundo, como o The Hollywood Reporter, Screen Daily e Variety. Além de Cannes e Munique, o filme esteve nas seleções oficiais dos festivais de Sydney, do Midnight Sun, na Finlândia, e de Karlovy Vary, na República Tcheca, e será exibido no Transatlantyk Festival, na Polônia, e no Festival de Cinema da Nova Zelândia.

 O longa é uma produção da RT Features, de Rodrigo Teixeira, em coprodução com a alemã Pola Pandora, braço de produção da The Match Factory, de Michael Weber e Viola Fügen, além da Sony Pictures Brasil, Canal Brasil e Naymar (infraestrutura audiovisual), e conta com o financiamento do fundo alemão Medienboard Berlin Brandenburg e do Fundo Setorial do Audiovisual/Ancine. A Sony Pictures será a distribuidora responsável pelo lançamento no Brasil em 31 de outubro.

Post Author: Luiz Henrique Oliveira

Nascido em Capão Bonito, criado em Itapetininga, residente de São Paulo. Gosta de filmes, de séries, de livros e de dar uns rolês aleatórios. Acha "O Poderoso Chefão" o melhor filme do mundo quando não lembra que "2001" consegue ser melhor. É religioso: tem muita fé em Stanley Kubrick.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *