critica carnival row

Crítica: “Carnival Row” – 1ª Temporada

Carnival Row estreou no dia 30 de Agosto pela Amazon Prime.

Será um novo Game of Thrones?

A série chegou e aparentemente veio para ficar, tendo já a confirmação da próxima temporada antes mesmo da primeira ter sido lançada.

Em síntese, a trama se passa em uma sociedade vitoriana com conflitos entre os humanos e seres mitológicos, como fadas, bruxas, centauros, faunos  entre outros. O ponto central da história é entre o romance entre o humano Rycroft Philostrate (Orlando Bloom) e a fada Vignette Stonemoss (Cara Delevinge).

A história dos dois se cruzam em meio a uma guerra em que o povo das fadas têm seu território atacado pelo Pacto, o que leva esse povo a ter que buscar refugio no Burgo (território dos humanos).

Além do romance

Carnival Row vai muito além do romance entre Rycroft Philostrate e Vignette Stonemoss .

Dessa forma, a série desenvolve de maneira interessante a questão de imigração, preconceito, sexualidade, política, entre outros pontos relevantes para se criticar em uma sociedade.

A raça humana é vista como extremamente superior as outras, por isso alguns personagens da série vem para tentar quebrar essa linha de pensamento.

Logo, a primeira temporada é composta de 8 episódios onde acontecem várias subtramas além da trama principal, mas que ainda assim estão todas conectadas.

Segredo

Outro ponto importante da série. Aquele segredo que é revelado apenas no último episódio. Rycroft Philostrate que trabalha como inspetor no Burgo busca por solucionar uma sucessão de assassinatos com padrões intrigantes.

Enfim, a série toma rumos pouco esperados pelo espectador.

Vale a pena?

Uma série de fantasia que vai muito além da fantasia. Os personagens são envolventes, o visual vitoriano é bem feito e as histórias se entrelaçam perfeitamente.

Alguns pontos negativos é que algumas situações que poderiam ser melhores desenvolvidas, terminam em sexo e por aí fica. O começo da série é lento, o que pode deixar de cativar o espectador, mas não desanime! Vale a pena ver até o fim.

Confira o Trailer:

Confira também: Crítica: “It: Capítulo 2”

 

Post Author: Pâmela

Paranaense, 24 anos. Moça que curte tecnologia, jogos, filmes, livros e séries.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *