Doctor Sleep, de Stephen King

DOCTOR SLEEP OU O ILUMINADO 2?

Estreia dia 7 de novembro nos cinemas.

Em 1980, chegava aos cinemas O Iluminado, baseado na obra do célebre escritor Stephen King, o mestre do horror – lançada em 1977. Obra produzida por outro célebre – do cinema – Stanley Kubrick. Um clássico cinematográfico, apesar de ter desagradado ao autor do clássico literário. Hoje, após quase trinta anos, chega aos cinemas Doctor Sleep (livro publicado em 2013), homônimo e sequência direta do primeiro sucesso literário e cinematográfico já citado. Este também adaptado da obra do mesmo escritor e criador de obras primas como:  It (1986); O Cemitério (1983); Carrie (1974), A Espera De Um Milagre (1996), entre tantos outros, sendo que todos estes citados foram adaptados para as telonas e outros para a telinha. Doctor Sleep, desta vez, dirigido por Mike Flanagan, tem a difícil missão de agradar aos fãs da primeira adaptação e ao escritor Stephen King, ou seja, entre a cruz e o calvário. A trama aborda acontecimento a seguir os fatos que ocorreram no primeiro filme – caso ainda não tenha assistido ao O Iluminado, não assista à esta estreia, sem antes assistir à primeira adaptação. Neste filme, Danny Torrance (Roger Dayle Floyd – criança) e Ewan McGregor (adulto), sofre de alcoolismo e está desempregado. Além disso, ainda tem o dom da “iluminação”, capaz de ler pensamentos, conversar com seus pares e encontrar objetos perdidos.  Em seu caminho, surgem duas figuras femininas importantes: Abra Stone (Kyliegh Curran), outra “iluminada”, cujo poder é ainda mais forte do que o de Danny e a malvada Rose, a Cartola (Rebecca Ferguson). Rose e sua gangue – Nó Verdadeiro – vivem por séculos, alimentando-se da energia liberada pelos iluminados quando estão sendo torturados na hora da morte.

Danny tenta encontrar uma forma de superar seus traumas do passado, habitantes do Hotel Overlook. Para isso, ele cria caixas mentais nas quais fecha cada um de seus medos. Abra, mentalmente, contudo, o encontra e pede ajuda para guiá-la na arte da iluminação. E mais: ela está sendo perseguida pela perigosa Rose, ávida pelo poder da menina para se alimentar e prover sua gangue.

Para Flanagan, que já adaptou A Maldição da Residência Hill e Jogo Perigoso ambos também de King, tem como Kubrick, uma fonte de inspiração e homenagem. Acredito que os fãs mais saudosos, – eu, por exemplo -, ficará – como fiquei – de olhos arregalados ao constatar que Doctor Sleep (Doutor Sono), não perde a oportunidade de fazer inúmeras menções ao clássico de 1980.  Vale muito a pena dá um crédito para essa continuação e adaptação dirigida por este admirador de Kubrick e King. São duas horas e meia de puro horror, nostalgia e emoção.

Post Author: Ray Monteiro

Olá, sou Raymundo Monteiro, escritor e humorista. Estou aqui iniciando minha tentativa de ser colunista, aproveitando essa oportunidade que o site Cinco Tons deu. Obrigado, Cinco Tons!

2 thoughts on “DOCTOR SLEEP OU O ILUMINADO 2?

    Rafael Augusto de Castro Silva

    (7 de novembro de 2019 - 01:15)

    Mto boa a coluna, ao comentar a história boa envolve de tal forma que fico ansioso para assistir .
    Parabéns pelo trabalho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *