Um Amor Mil Casamentos nos dá uma história que, sempre que muda seu ponto de vista para uma nova versão, fica mais engraçada.

Um Amor Mil Casamentos | Leia a crítica do filme Netflix

Um Amor Mil Casamentos parece, à primeira vista, uma comédia romântica genérica, como muitos outras lançadas na Netflix. No entanto, quem assiste acaba se surpreendendo positivamente: é engraçada, emocionante e muito bem feita.

Veja a crítica:

Na história, conhecemos Jack (Sam Claflin), que precisa ajudar a sua irmã a manter a cerimônia perfeita de casamento. Tudo pode vir por água abaixo quando um rapaz, apaixonado por ela, invade a festa e pretende estragar aquele que deveria ser o melhor dia da vida dela.

Para tentar impedi-lo, ela convence Jack a participar de um plano: dopar o rapaz e mantê-lo quieto, para que ele não faça nenhum escândalo. A partir daí, Um Amor Mil Casamentos nos dá várias versões de tudo que pode dar errado nesse plano que, de começo, já é uma furada.

O filme faz questão de brincar sobre a nossa perspectiva sobre o acaso. O que aconteceria quando uma coisa sai errado em um planejamento? O acaso é que age nesses casos, já que não temos mais nenhum controle sobre as coisas que virão. Um Amor Mil Casamentos mostra várias versões da mesma história, mudando uma coisa aqui ou ali, apenas para mostrar o quanto o acaso está presente — e pode colocar tudo a perder.

Dessa forma, sendo também uma comédia romântica, é preciso que o romance esteja presente. Ele é fornecido também por Jack, que está às voltas com uma ex-namorada que também está na festa. No entanto, o filme tem mais de comédia do que de romance. Esse é um ótimo sinal.

 

Um Amor, Mil Casamentos tem um elenco incrível

Um Amor Mil Casamentos possui um elenco afiadíssimo. Sam Claflin mostra aqui uma veia cômica insuspeitada até o momento. Ele, que protagonizou vários filmes “água com açúcar” tipo Como Eu Era Antes de Você mostra que sabe fazer comédia de qualidade.

(Um parênteses aqui: fazer comédia é sempre mais difícil do que fazer drama. Fazer chorar é relativamente fácil quando perto da arte de fazer rir. Por isso, quando um ator aparece entregando um papel cômico tão bom, é preciso ressaltar).

Além de Claflin, o filme tem em seus coadjuvantes uma de suas grandes forças. Praticamente todos os atores e atrizes tem seus momentos para brilhar, principalmente Olivia Munn. Resultado da soma entre o talento dos envolvidos na frente das câmeras com os responsáveis por um roteiro e direção bem estruturados.

E por falar em roteiro, há tempos que uma comédia romântica não entrega algo tão bem pensado. Um Amor Mil Casamentos nos dá uma história que, sempre que muda seu ponto de vista para uma nova versão, fica mais engraçada. Além disso, consegue unir bem a comédia e o romance sem parecer piegas.

Dessa forma, o filme encanta até mesmo quem não gosta do gênero, como eu. É uma boa pedida para quem está em quarentena. O longa traz um roteiro com piadas rápidas e atuações que acertam no tom. Além disso, tem também uma direção que entende de gags visuais. Com tudo isso, Um Amor Mil Casamentos é praticamente imperdível.

*Leia também a crítica de Efeito Pigmaleão, filme que estreou nesta semana na Netflix.

Post Author: Luiz Henrique Oliveira

Nascido em Capão Bonito, criado em Itapetininga, residente de São Paulo. Gosta de filmes, de séries, de livros e de dar uns rolês aleatórios. Acha "O Poderoso Chefão" o melhor filme do mundo quando não lembra que "2001" consegue ser melhor. É religioso: tem muita fé em Stanley Kubrick.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *