in , ,

THE FEED: O FUTURO NEM SEMPRE É TÃO PROMISSOR QUANTO PARECE

The Feed, série futurística, da Prime Vídeo, mostra as consequências da total dependência da tecnologia em um futuro não muito distante.

Em 8 de fevereiro de 2018, foi anunciado que as empresas de produção britânicas Liberty Global e All3Media International, juntamente com a Amazon Prime Video (distribuidor internacional) se uniriam para produzir uma adaptação em série de televisão do romance The Feed, de Nick Clark Windo. Série escrita por Channing Powell, que produz ao lado de Susan Hogg e Stephen Lambert. Cada um dos diretores é creditado por dois episódios (alternados). Em 3 de maio de 2018, ficou estipulado que Powell foi responsável pela criação da série, e que o pedido da série era para uma primeira temporada composta por dez episódios.

The Feed, série futurística, da Prime Vídeo, mostra as consequências da total dependência da tecnologia.

Sendo que a filmagem principal da primeira temporada começou em maio de 2018 no Reino Unido. “The Feed” teve cenas e episódios filmados em Shrewsbury, Inglaterra, em dezembro de 2018. Em 11 de janeiro de 2019, as filmagens ocorreram no centro da cidade de Liverpool, Inglaterra.

 

A TRAMA:

 

 The Feed se passa em Londres em um futuro próximo e segue a família britânica de Lawrence Hatfield, o homem que inventou uma tecnologia onipresente chamada The Feed. Implantado no cérebro de quase todas as pessoas, The Feed (ou “A Fonte” em português brasileiro) permite que as pessoas compartilhem informações, emoções e memórias instantaneamente. Mas as coisas começam a dar errado e os usuários se tornam assassinos, a família é afastada enquanto lutam para controlar o monstro que desencadearam.

Um enredo surpreendente e repleto de reviravoltas.

Super recomendo!

 

Fontes: Adorocinema & Wikipedia.

What do you think?

Written by Ray Monteiro

Comments

Leave a Reply
  1. Achei interessante o contexto da trama e, realmente, não é um cenário muito distante da nossa realidade. Afinal, é questão de tempo até que um mundo, onde tudo o que fazemos é registrado nas redes sociais, se torne uma distopia, em que lerão, inclusive, os nossos pensamentos.

    Também achei interessante a sua resenha, Ray, mas cuidado com os spoilers. Se você tivesse descartado o trecho “… e os usuários se tornam assassinos”, no final do terceiro parágrafo do seu texto, o leitor ficaria ainda mais curioso pra assistir “The Feed”. Você poderia, ao menos, avisar sobre algum possível spoiler e deixar em negrito as respectivas frases.

    São dicas de um amigo que está torcendo por você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Crítica: “O Silêncio do Pântano” – Suspense da Netflix

Crítica: “Eu Nunca…” – 1ª Temporada