"Ordem na Casa com Marie Kondo" é um programa divertido e que nos mostra a necessidade de termos uma casa bem organizada.

Crítica: “Ordem na Casa com Marie Kondo”

Ordem na Casa com Marie Kondo” é o tipo de programa que faz a alegria de quem tem sérios problemas com limpeza e arrumação da casa. Consequentemente, também é o terror de quem se considera desleixado. Isso porque, nesse reality show, o foco é como organizar o lar, jogando fora coisas que não prestam e reutilizando o espaço que sobra.

A primeira coisa que impressiona na primeira temporada dessa série é o quanto as pessoas podem ser desorganizadas. Visitamos, junto com a experiente Marie Kondo, alguns lugares onde facilmente seria possível se perder, tamanha é a bagunça. Na grande maioria dos casos apresentados ao longo dessa temporada, os participantes não assumem a própria desorganização. Mas não podemos julgar. A maioria de nós age da mesma forma. É a questão do desapego: é difícil se livrar de coisas que têm alguma importância emocional.

É aí que entra em cena a magia de Marie Kondo. Ela, que é uma das profissionais do ramo mais conhecidas do mundo, usa técnicas especiais para fazer a arrumação das casas que visita. E não se pode negar: ela é excelente. Tão boa que chega a ser impressionante. Ela é reconhecida por esses métodos, tanto que seu livro “A Magia da Arrumação” já vendeu mais de 8 milhões de cópias. A técnica japonesa que ela utiliza pega o conceito da “energia das coisas”. Ou seja: tudo que nós temos em casa transmite algum tipo de força. Você já pode imaginar: pode ser tanto algo positivo quanto negativo. Por isso, precisamos refletir sobre as lembranças que cada peça de roupa a mais no guarda roupa pode nos transmitir.

 

“Ordem na Casa com Marie Kondo” mostra a toxicidade dos objetos

Evidentemente, utiliza aspectos psicológicos para conversar com os donos das casas visitadas em “Ordem na Casa com Marie Kondo”. E nessas conversas é que nós vamos percebendo coisas que não notamos em nós mesmos. Quantos de nós deixamos de jogar fora algumas coisas que nos foram dadas por pessoas que nos prejudicaram? O apego emocional das coisas que não nos fazem bem?

Kondo também fala das roupas e objetos como se fossem pessoas. Já que transmitem energia, devem estar “felizes” com seus ambientes. Dessa forma, ela faz a arrumação dos espaços dando conforto a essas peças. No fim das contas, isso se traduz no conforto dos habitantes da casa. Assim, dá para concluir que “Ordem na Casa com Marie Kondo” é o tipo de programa que nos inspira a olhar os nossos pertences de outra forma. E, com isso, melhorar a nossa morada para que ela se torne, finalmente, plenamente confortável.

No aspecto técnico, “Ordem na Casa com Marie Kondo” não traz nada de novo. É um reality que acompanha Kondo em suas visitas a casas onde a bagunça impera. Dessa forma, mostra os métodos que ela utiliza para fazer com que o espaço seja organizado. Além disso, também mostra as conversas que ela tem com os moradores de cada lugar, para que eles se conscientizem das melhores maneiras de manter o lugar impecavelmente estruturado. E claro, Kondo tem um estilo calmo e pausado de falar, o que transmite uma calma absurda. Alguns podem considerá-la “devagar” demais. Entretanto, é essa leveza que torna fácil a compreensão de suas lições, e nos faz sentir uma enorme empatia por ela.

Por fim, “Ordem na Casa com Marie Kondo” é uma adição excelente ao catálogo de reality shows da Netflix. Um dos poucos que traz uma mensagem útil de verdade. Afinal, ter uma casa organizada é essencial para que nós possamos nos sentir bem com o ambiente e com nós mesmos.

Post Author: Luiz Henrique Oliveira

Nascido em Capão Bonito, criado em Itapetininga, residente de São Paulo. Gosta de filmes, de séries, de livros e de dar uns rolês aleatórios. Acha "O Poderoso Chefão" o melhor filme do mundo quando não lembra que "2001" consegue ser melhor. É religioso: tem muita fé em Stanley Kubrick.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *